24 de out de 2011

Acumuladores

Oi pessoal,

Estou assistindo a série acumuladores no canal pago Discovery Home& Health.
O programa reúne casos de pessoas que sofrem de casos severos de hoarding, uma variedade do transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), cuja principal característica é a necessidade incontrolável de armazenar objetos (e até animais).
A série é exibida aos sábados, às 22 horas (horário de Brasília).
Como trabalho com organização fiquei impressionada com que vi, esse distúrbio é mais comum do que a gente imagina, conheço muita gente que acumula: tampinha de garrafas, sacolas, potes de sorvete e de margarina, frascos de xampu, perfumes vazios, caixas, latas e etc., tudo isso em quantidades fora do normal. Não sei se isso é o início para essa doença.
Não adianta brigar, procurar razões ou fazer uma faxina ou organização forçada na casa de quem tem esse distúrbio. O que resolve é ajudá-lo a perceber que precisa de tratamento médico.





Você já ouviu falar sobre os acumuladores?
São pessoas que padecem de um transtorno compulsivo que as leva a acumular objetos de forma desordenada e excessiva. Estima-se que três milhões de pessoas, de todas as idades sofram com o problema no mundo. Em geral, os portadores do distúrbio acumulam objetos inúteis e sem valor: jornais, revistas, lixos, peças eletrônicas, televisores quebrados e até automóveis. Eles valorizam de tal forma esses objetos que sentem uma angústia profunda ao pensar em se livrar deles.

Castelos de objetos
As pessoas que sofrem desse transtorno não conseguem ver a acumulação como um problema real. Pelo contrário, organizam suas casas em função dos objetos em desuso que encontram, armazenando-os sem nenhum tipo de lógica nem ordem, e quando os espaços começam a lotar, começam a implementar estratégias para poder transitar por eles sem se desfazer dos objetos.

Existe cura?
Apesar de afetar quase 4% da população mundial, é um transtorno pouco explorado e ainda não há critérios estabelecidos para diagnosticar a síndrome.
A forma mais adequada de tratar os pacientes consiste em fazê-los tomar consciência de que o desapego aos objetos inúteis é essencial para levarem uma vida normal. Os psicólogos afirmam que, se isso não ocorrer, de nada serve limpar suas casas, já que após a terapia, voltariam a acumular de forma descontrolada


Fonte:http://www.discoverybrasil.com/homeandhealth/sua-casa/acumuladores

5 comentários:

Related Posts with Thumbnails